página inicial | mapa do site
ff
Página Oficial - IGESPAR
Contactos - CMA
arqueologia@cm-alijo.pt
Roteiros - Google Earth
Resenha Histórica de Alijó
Historicamente implantada num eixo que terá servido de fronteira em permanentes mutações, só a partir do primeiro quartel do século XII (ano de 1225) é que D. Sancho II mandou povoar Alijó, que se encontrava até então abandonada. Deu-lhe carta de foral em abril de 1226. D. Afonso III concede nova carta de foral, dia 15 de novembro de 1269, em Santarém. Já no século XVI, D. Manuel I cria novamente carta de foral, dia 10 de julho de 1514 (em Lisboa).
A ocupação ordenada do território, acontece a partir dos séculos XII e XIII, tendo nessa altura sido atraídos vários representantes da nobreza e da alta burguesia como os Távoras (sendo este o caso do Marquês de Távora, primeiro donatário de Alijó e seus termos). Ficaram os Marqueses de Távora senhores donatários deste concelho durante as dinastias Joanina, Filipina e parte da Brigantina até ao reinado de El-Rei D. José. Só em pleno consulado pombalino é que se assiste à execução dos Távoras (por suspeita de envolvimento na tentativa de assassinato do rei D. José I).
Tanto hoje como no passado o clima, a situação geográfica e o magnífico património natural e arqueológico impuseram-se como fatores de atração . O concelho de Alijó é assim detentor dos mais belos solares, igrejas, capelas e casas senhoriais distribuídas pelas diversas freguesias.
O concelho de Alijó apresenta um caráter rural, inserido na Região Demarcada do Douro. Alijó é um concelho que vive essencialmente da agricultura e do pequeno comércio.
A cultura vitivinícola - cultura dos vinhos finos ou generosos e de mesa, praticada essencialmente nas terras junto aos rios que delimitam o concelho assumem-se como o principal suporte económico. Contribuem também para o sustento das gentes locais a prática da pastorícia (em lameiros) e os soutos (nas terras mais altas). No concelho de Alijó, a beleza é omnipresente e marcada por duas zonas distintas: a zona Norte agreste, rica na cultura do azeite, cereais, leguminosas, batata e amendoais está associada a terrenos/morros graníticos. A zona Sul tipicamente duriense revela um cenário distinto repleto de vinhedos em socalcos e paisagens verdejantes, sendo o xisto a rocha predominante.
Concelho de Alijó (norte/sul)



Vista norte (Srª da Cunha)



Vista sul (Castedo)
Resenha Histórica de Alijó
--